Problemas financeiros podem levar ao divórcio

0

Controle dos gastos e apoio profissional podem ser a saída para não perder o casamento

Já dizia o antigo ditado: “Quando a necessidade bate na porta, o amor sai pela janela”. Parece exagero, mas é verdade. Problemas financeiros interferem no relacionamento do casal, podendo leva-lo ao divórcio, concordam os especialistas. “O endividamento e os problemas começam antes da união, no momento em que o casal decide fazer a festa de casamento”, diz o consultor e educador financeiro Hygor Duarte.

Em muitos casos, o sonho de realizar uma grande festa acaba se tornando um pesadelo quando os boletos do pagamento da festividade começam a chegar. Em geral, os casais que passam por este problema não fazem um planejamento dos custos da festa somados aos custos da nova vida a dois, que ainda incluem a casa e a mobília. “Não é raro encontrarmos casos em que o casal faz uma festa que não cabe dentro do orçamento e já iniciam a vida a dois endividados”, ressalta Hygor.

Além de dividir a vida a dois, o novo casal passa a compartilhar os gastos e aí, pode surgir outro problema. Sempre existe um que gosta de gastar mais ou outro que é mais controlado ou um que gosta de planejar os gastos e outro que é mais relapso, entre outras situações que levam o novo casal enfrentar brigas e discussões sobre o financeiro.

E para piorar ainda mais a relação estremecida pelos gastos, a chegada de um filho aumenta ainda mais os gastos do casal, que, em muitos casos, ainda não se recuperou financeiramente dos custos da festa de casamento e da nova rotina. É neste momento que, diante de uma bola de neve, muitos casais acabam se divorciando.

De acordo com a psicanalista e grupoterapeuta Maria Clara Barbosa, as questões financeiras e os endividamentos são sempre um agravante para uma relação em que a dificuldade de comunicação e compartilhamento da vida já se faz presente.

“Os casais não sentam para conversar sobre algo profundo nem enquanto indivíduos, nem enquanto casal”, alerta a terapeuta.

Encontrando uma saída

Para o educador e consultor financeiro Hygor Duarte, o casal que não quer fazer parte desta estatística necessita iniciar uma análise fria dos gastos da família e diagnosticar o que é realmente importante e útil antes da compra, colocando na ponta do lápis todos os gastos para analisar onde o casal está desperdiçando dinheiro. “Se eles continuarem gastando com o que não precisam daqui pouco vão precisar vender coisas que necessitam”, adverte.

Colocar um freio nos gastos pode não ser uma tarefa fácil. Para auxiliar estes casais, a terapia financeira se mostra como um diferencial, para salvar o financeiro e o casamento. “Com este apoio, o casal aprende a organizar seus gastos, pechinchar os melhores preços, cortar gastos supérfluos para assim, poder continuar comprando e não apenas comprar uma única vez e não aguentar pagar”, afirma.

Durante a terapia, o casal aprende a gastar de maneira estruturada, sem esquecer de poupar para construir sonhos em comum. “O profissional auxilia o casal a perceber a sua realidade ‘de fora’ e a observar tudo o que pode ser alteração para não resultar no término do casamento”, finaliza.

Foto Ilustrativa

 

Compartilhar

Comentários