Palestra sobre autocuidado e gerenciamento de emoções faz parte do cronograma de atividades do Outubro Rosa da FRAFEM

0

A Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul de Itapeva, a FRAFEM, realizou uma palestra, na última sexta-feira, em comemoração ao Outubro Rosa. Autocuidado e gerenciamento de emoções foi o tema da palestra ministrada pela dra. Kathe do Rocio Grassi, na Câmara Municipal de Itapeva.

Na primeira parte da palestra, Kathe falou sobre o autocuidado e todos os fatores que estão relacionados com ele, como a alimentação, o sono, as atividades físicas, as atividades intelectuais, os limites individuais, a meditação, os bons pensamentos e as boas emoções.

Já na segunda parte, a palestrante trouxe ensinamentos sobre o gerenciamento das emoções, que segundo ela, podem ser controladas por cada pessoa. De acordo com Kathe, o gerenciamento das emoções é fundamental para equilibrar os níveis de estresse, que apesar de ser normal, tem um certo limite. Kathe explica até que ponto o estresse é normal:

“Até o ponto que te mobiliza para coisas positivas. Para você sair de uma situação que você está em uma inércia, para você resolver um problema, mas o estresse sempre é solicitado para que você possa ter uma atitude e imobilizar alguma coisa, depois que você resolveu lutar ou fugir, aí você tem que relaxar, e o problema é que hoje as pessoas não relaxam, o estresse é contínuo, porque as coisas não se resolvem, esse é o problema do estresse”.

No final da palestra, em entrevista para o Sudoeste Notícias, a Dra. Kathe também relacionou o gerenciamento das emoções com os tratamentos homeopáticos e com a acupuntura, que são as suas especialidades:

“Tanto a acupuntura quanto a homeopatia, são tratamentos onde o paciente ele é convidado a tomar o seu processo de cura na sua própria mão. Então são tratamentos em que ele é convidado na sua caminhada da autocura, e isso passa pela conscientização. Então ele tem que se conscientizar das coisas, ver onde ele está errando em sua vida, corrigir sua alimentação, porque as vezes ele está inserido no estresse e não consegue nem enxergar ele só vai enxergar quando ele enfartou, quando ele começa a ter uma síndrome do pânico, quando ele não consegue dormir, quando tem insônia, ou quando vem uma hipertensão, uma diabetes, que já fez uma doença física. Se a gente conseguir atuar nisso antes, para que as pessoas entendam que o estresse é uma coisa boa para te mobilizar, mas que o relaxamento é uma coisa necessária, da mesma coisa que você se estressou, você tem que relaxar. E homeopatia e acupuntura fazem com que o paciente reaprenda a relaxar, a  se reorganizar, voltar para o seu eixo, são tratamentos que alinham a energia da pessoa e ela consegue ver as coisas que ela realmente precisa fazer na sua vida, e ter uma qualidade de vida para si mesmo e para todos que estão ao seu redor”.

 

Compartilhar

Comentários